Coisas curiosas da Sobreira

Versão de impressão

Passadeira junto ao centro de saúde de Sobreira

Por muito que me esforce ainda não entendi o que faz esta passadeira neste local, visto a dificuldade dos peões em utiliza-la, quem esta no lado do centro de saúde e quiser usar a passadeira para atravessar para o outro lado, por exemplo ir à farmácia vai curiosamente parar ao centro de uma rua (Rua Ernesto Brito), tendo muito sorte em não ser atropelado.






Elaborado por Paulo Silva
 

Placa ao fim da Avenida 25 de Abril

Esta placa está em risco de matar alguém! Mas só quando ela cair e matar alguém é que alguém se lembra dela.




Elaborado por Paulo Silva

Afinal onde fica a Sobreira?

Existem as seguintes placas já dentro da Sobreira:












Agora pergunto eu, afinal a onde fica a Sobreira?



Elaborado por Paulo Silva

Categoria:

Comentários

Caros sobreirenses Quando olho para o nível de desenvolvimento que a nossa querida vila vem apresentando nos últimos anos, fico obviamente “estático”, pois como devem perceber, a minha postura está perfeitamente em sintonia com o progresso apresentado pelo executivo da junta em actividade. Digo estático, porque do ponto de vista do investimento, não vislumbro absolutamente nada de extraordinário interesse social, excepção feita a umas míseras esmolas, como um “caminhito” aqui e um “murito” ali, que mais não servem do que entreter o bom povo desta terra e aparentemente justificam o incauto escoamento que dão ao dinheiro publico. Se não bastasse tamanha insensatez nos desígnios desta terra, o poder instalado, apelida subtilmente os eleitores desta terra de “ignorantes”, ao tentar justificar a aplicação dos dinheiros públicos em obras como a estrada de St.ª Comba, o caminho da codeçosa, a limpeza do rio junto á casa do presidente de junta e até a rotunda da Devesa. Será que não percebem que o povo da sobreira já é instruído e já sabe identificar com alguma facilidade todos os ladinos de intenções trapaceiras?  O que ainda não sabe este nobre povo, mas irá aprender concerteza, é aprender a valorizar o seu voto eleitoral, utilizando-o como única arma possível para lutar contra a estagnação, contra o desinvestimento, contra a aplicação dos dinheiros públicos e quiçá contra o favorecimento patrimonial de determinadas pessoas em detrimento das restantes. O que á partida parece um simples voto, na realidade reveste-se de um valor incomensurável, pois é com ele que punimos qualquer candidato que lesou os interesses desta terra ou que, não nos conseguiu proporcionar durante o mandato que exerceu, uma significativa melhoria na nossa condição de vida. Qualquer cidadão de inteligência mediana e de reconhecida sociabilidade, verifica claramente o despotismo do nosso poder local na resolução de alguns problemas de sua responsabilidade. Paradoxalmente, verifica demasiada iniciativa na resolução destes problemas, mas quando os mesmos são sentidos unicamente pelos seus fiéis seguidores. Não podem estas pessoas facilitar a venda de um terreno público por uns míseros trocos a um bom cidadão desta terra, quando passadas algumas semanas, procuram junto de privados, um terreno naquelas imediações, para servir uma escola, desta vez despendendo um valor considerável. Esta história faz-me lembrar aquele ignorante que vende um determinado bem por um pequeno valor e passado algum tempo vai tentar adquiri-lo á mesma pessoa por um valor 4 vezes superior.Atrever-me-ia a congeminar, se o caminho de St.ª Comba é de uma importância tão considerável quanto o fizeram parecer. Não acredito que o seja, pois aquele troço não é utilizado diariamente por pessoas de Casconha e muito menos de St.ª Comba. Concluo que nos dias mais movimentados, seja utilizado por duas ou três viaturas, que se deslocam àquela zona para “fumarem uns charritos” ou para amenizar os seus impulsos de cariz sexual. Perguntaria em segundo lugar, se o caminho da codeçosa é igualmente de importância absoluta! Acho que não. Pois além de servir apenas quatro residências, não é nem nunca será ponto de passagem imprescindível á circulação rodoviária ou pedonal da restante população. Concluo portanto que se trata de um favorecimento de meia dúzia de pessoas em detrimento da restante população. Todos conhecemos artérias desta terra que necessitam de uma intervenção muito mais urgente do que aquela que referi e que são inclusive utilizadas por muitas mais famílias, verificando-se um tráfego de pessoas e viaturas substancialmente maior. Exemplos destes são aos montes, mas em terceiro lugar, perguntaria se a limpeza do rio vai permitir uma significativa melhoria na condição de vida da população geral da sobreira. O que poderá apenas permitir é um asseio significativo daquele local, proporcionando aos moradores mais próximos, a contemplação de uma admirável paisagem, sobrevalorizando unicamente o património e bem-estar dos “vizinhos” dessa parte do rio.    Caros cidadãos de Sobreira, não deixem que a incúria atropele as vossas mentes e vos faça padecer de letargia social. Não vos deixeis levar pelas cores partidárias, aliás como fez o actual presidente de junta e a maioria dos seus seguidores, que despiram as suas velhas t-shirts “rosa”, para vestir de forma ardilosa um conjunto de pijamas “laranja”. Não durmam vocês também e poderão assistir muito em breve ás forçosas mudanças que esta vila urge em reivindica-las e nunca chegam. Não se deixem enganar, façam como o amigo MOTARD e apresentem aqui neste espaço os reais problemas da vila.  Como dizia Napoleão Bonaparte: “As verdadeiras conquistas, as únicas de que nunca nos arrependemos, são aquelas que fazemos contra a ignorância” A.Nogueira

Pois claro!